Objetivos e política editorial

A Revista Brasileira de Psicologia é uma publicação semestral do Programa de Pós Graduação em Psicologia da Universidade Federal da Bahia (PPGPSI) e tem o objetivo de publicar artigos inéditos relativos à Psicologia e áreas afins. A Revista aceita manuscritos em português, inglês e espanhol que se enquadram nas seguintes categorias:

  • Relato de pesquisa: estudo baseado em dados empíricos, experimentais ou conceituais, com limite máximo de 25 páginas, incluindo tabelas, figuras e referências.
  • Artigo teórico: artigos teórico ou de revisão crítica da literatura sobre temas relacionados à psicologia do desenvolvimento, psicologia organizacional e do trabalho, psicologia social e áreas afins que contribua para a realização de futuros estudos. Limitado a 25 páginas, incluindo tabelas, figuras e referências.
  • Resenha: resenha crítica de livro relacionado à Psicologia ou áreas afins publicado nos últimos dois anos, com no máximo quatro páginas.
  • Dossiê: A seção é organizada por um editor convidado de uma área de expressão dentro da Psicologia e recebe textos direcionados ao tema da ediçãotambém submetidos via website. O que a difere da seção generalista é a especificidade temática e, em alguns casos, a forma de submissão de artigos – espontânea ou convite. Limitado a 25 páginas.
  • Opiniões: Profissionais reconhecidos na área da Psicologia serão convidados pela comissão editorial para apresentar sua opinião a respeito de tema relevante para a Psicologia e áreas afins. Limitada a cinco páginas.

Os estudos submetidos à apreciação da Revista devem se tratar de contribuições que nunca foram publicadas ou que não estão sob avaliação de outro periódico. Todos devem ser submetidos somente via internet, diretamente no website da Revista (http://www.revpsi.org).

Inicialmente, os manuscritos serão avaliados pela Comissão Editorial, observando-se as normas para publicação da Revista. Para a submissão, é necessário que o autor esteja devidamente cadastrado como autor, no site da Revista. Para os estudos com mais de uma autoria, os nomes de todos os autores devem ser informados em “Inclusão de metadados”. Caso estejam de acordo com as normas, os estudos que forem passíveis de publicação serão encaminhados para avaliação pelos pares (double blind review).

Atenção: é dever do autor(es) se certificarem que não há nenhuma possibilidade de serem identificados. Para tanto, devem checar se não há menção a trabalhos anteriores dos autores; detalhes do método que possibilitem a identificação e/ou localização da origem. Além disso, devem ser retiradas informações dos campos das propriedades dos documentos (em “Arquivo” → “Propriedades”, para versões anteriores ao Microsoft Office 2007, “Arquivo” → “Preparar” → “Propriedades”, para Microsoft Office 2007 e “Arquivo” → “Informações” → clicar com o direito sobre “autor” → “Remover pessoa”, para Microsoft Office 2010).

No formulário de submissão, o primeiro autor deverá autorizar a Revista Brasileira de Psicologia a reformular a linguagem do artigo, caso necessário, e ainda declarar que o estudo não foi publicado em nenhum meio de informação e nem se encontra sob a avaliação de nenhum outro periódico. Além disso, após a aprovação da publicação do manuscrito na Revista Brasileira de Psicologia, deve ser enviada ao editor da revista uma carta com as mesmas informações, devidamente assinada por todos os autores.

Orientações gerais para apresentação dos manuscritos

Os manuscritos submetidos à Revista Brasileira de Psicologia deverão estar em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF e seguir as normas da 6ª edição do Publication Manual da American Psychological Association (APA), de 2010. Como alternativa à consulta ao original desse manual, sugerimos o site da APA que disponibiliza alguns recursos para organização inicial do manuscrito (http://www.apastyle.org/elecref.html).

Todo arquivo encaminhado deve ser composto pela folha de rosto, pelo corpo do texto organizado em seções e com os respectivos subtítulos e pelas referências. As notas devem aparecer no rodapé da página correspondente. Tabelas, figuras e apêndices devem ser anexados em “Transferências de documentos suplementares”, na submissão. Os títulos das seções do texto devem estar centralizados, em negrito e ter a primeira letra maiúscula. Os títulos das subseções devem estar alinhados à esquerda, em negrito e a primeira letra deve ser maiúscula.

A folha de rosto não deve ser identificada e conter:

  • Título e sugestão de título abreviado em português. O título deve ter no máximo 12 palavras e o título abreviado deve ter no máximo quatro palavras;
  • Resumo, em português, com mínimo de 100 palavras e máximo de 150 palavras, para relato de pesquisa e artigo de revisão;
  • Três a cinco palavras-chave, em português, separadas entre si por vírgulas e com todas as letras minúsculas. Não incluir frases;
  • Título, em inglês, com no máximo 12 palavras;
  • Resumo em inglês com mínimo de 100 palavras e máximo de 150 palavras, para relato de pesquisa e artigo de revisão;
  • Três a cinco keywords, separadas entre si por vírgulas e com todas as letras minúsculas. Não incluir frases.

Formatação

  • O manuscrito, em toda a sua extensão, deve ser escrito em fonte Arial;
  • Fonte em tamanho 12 no corpo do texto;
  • Fonte em tamanho 12 nas tabelas e nas figuras com texto editável;
  • As margens do documento devem ter 2,5cm em todos os lados;
  • Alinhamento à esquerda, com recuo da primeira linha de parágrafo de 1,25cm e espaçamento entre linhas duplo;
  • A numeração das páginas deve ser feita desde a folha de rosto, no canto superior direito da página;
  • As tabelas e figuras devem ser cadastradas como arquivos separados que serão anexadas em “documentos suplementares”, na submissão. Cada tabela e cada figura deve ser identificada com número e título. No corpo do texto, os autores devem indicar a localização aproximada da tabela ou figura. A formatação da tabela e da figura deve seguir os seguintes padrões: tamanho máximo: 17,5 x 23,5 cm; espaçamento entre linhas: simples. Atenção: as tabelas devem ser enviadas em arquivo de texto. Já as figuras e gráficos devem estar em preto e branco e ser enviados em formato de imagem (JPEG ou JPG) com resolução de no mínimo de 150dpi.

Citações

Abaixo são apresentados alguns exemplos de citações que devem orientar a organização do manuscrito. As remissões bibliográficas devem apresentadas em ordem alfabética. Para mais informações, a 6ª edição do Publication Manual da American Psychological Association (APA) deve ser consultada.

1. Citação com até dois autores: sobrenome dos autores, seguido do ano de publicação, sempre que o trabalho for mencionado. Exemplos: Grusec e Davidov (2010) ou (Grusec & Davidov, 2010).

2. Citação com três a cinco autores: na primeira vez que o trabalho é citado, devem ser apresentados o sobrenome de cada autor, seguido do ano de publicação. Na segunda citação, deve constar apenas o sobrenome do primeiro autor, seguindo da expressão “et al.” (sem itálico) do ano de publicação. Exemplos: Costello, Egger e Angold (2005) ou (Costello, Egger, & Angold, 2005) para a primeira citação e Costelo et al. (2005) ou (Costello et al., 2005) a partir da segunda citação. Na lista de referências, todos os autores devem ser apresentados.

3. Citação com seis ou mais autores: apenas o sobrenome do primeiro autor, seguido da expressão “et al.” e do ano de publicação devem ser mencionados desde a primeira vez que o trabalho é citado. Exemplos: Bromet et al. (2011) ou (Bromet et al., 2011).

Observação: na lista de referências, quando a citação tem oito ou mais autores, devem ser apresentados os nomes dos seis primeiros autores, seguidos de reticências e do nome do último autor.

Bromet, E., Andrade, L. H., Hwang, I., Sampson, N. A., Alonso, J., Girolamo, G., …Kessler, R. C. (2011). Cross-national epidemiology of DSM-IV major depressive episode. BMC Medicine9(90), 1-16. doi:10.1186/1741-7015-9-90

4. Citação literal: nos casos de citações literais com até 40 palavras, o trecho deve ser incorporado ao texto, entre aspas. Deve ser acrescentada à citação a paginação correspondente ao texto original. Acima de 40 palavras, o trecho deve formar um novo parágrafo, com recuo de 1,25cm da margem esquerda do parágrafo. Não são necessárias aspas, nem uso do itálico. Da mesma forma, após a citação, deve-se acrescentar a paginação correspondente.

5. Relatos literais de entrevistas, grupos focais, depoimentos, registros de diário: o trecho deve formar um novo parágrafo, independentemente da quantidade de palavras, com recuo de 1,25cm da margem esquerda em todo o parágrafo, escrito em itálico.

Referências

1. As referências bibliográficas deverão ser apresentadas, ao final do texto, em ordem alfabética pelo sobrenome do primeiro autor e cronologicamente para as obras do mesmo autor, de acordo com a 6a edição do Publication Manual da American Psychological Association (APA), de 2010.

Os exemplos abaixo representam as referências de alguns tipos mais comuns de obras consultadas. Em casos omissos, recorrer ao Manual da APA, e/ou às informações disponíveis no site da APA: http://www.apastyle.org/elecref.html

1.1. Livros e obras completos:

Bonfim, M. C., & Gondim, S. M. G. (2010). O trabalho emocional: demandas afetivas no exercício profissional. Salvador, BA: EDUFBA.

Sabadini, A. A. Z. P., Sampaio, M. I., & Koller, S. H. (2009). (Orgs.). Publicar em Psicologia: um enfoque para a revista científica. Recuperado de http://publicarempsicologia.blogspot.com/

1.2. Capítulos de coletâneas:

Beraldi, D. M, & Silvares, E. F. M (2003). Treino de habilidades sociais em grupos com crianças agressivas, associado à orientação dos pais: análise empírica de uma proposta de atendimento. In A. Del Prette, & Z. A. P. Del Prette (Orgs.), Habilidades sociais, desenvolvimento e aprendizagem: questões conceituais, avaliação e intervenção. (pp. 235-258). Campinas, SP: Alínea.

1.3. Artigos em periódicos científicos:

Loiola, E., Pereira, M. E., & Gondim, S. (2011). Aprendizagem e mecanismos de aprendizagem de trabalhadores em empresas da fruticultura irrigada do Baixo Médio São Francisco. Gestão & Produção18(1), 91-104. doi: 10.1590/S0104-530X2011000100007

Piccinini, C. A., Frizzo, G. B., Alvarenga, P., Lopes, R. S., & Tudge, J. (2007). Práticas educativas de pais e mães de crianças aos 18 meses de idade. Psicologia: Teoria e Pesquisa23(4), 369-377. 10.1590/S0102-37722007000400002

Tourinho, E. Z., & Bastos, A. V. B. (2010). Desafios da pós-graduação em Psicologia no Brasil. Psicologia: Reflexão e Crítica23(Supl. 1), 35-46. doi: 10.1590/S0102-79722010000400005

1.4. Teses e dissertações:

Lopez, F. N. (2011). Do interior do Estado ao interior da UFBA: uma experiência de tempo-espaço no processo de afiliação estudantil (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Bahia, Salvador). Recuperado de http://www.pospsi.ufba.br/fabio_nieto.pdf

Ulian, A. L. A. O. (2007). Uma sistematização da prática do terapeuta analítico-comportamental: subsídios para a formação (Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo). Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47133/tde-06052008-162313/pt-br.php

Observação: informar link da internet, no caso de dissertações e teses acessadas em banco de dados digitais.

1.5. Trabalhos não-publicados ou no prelo:

Ghibaudi, J. W. Territórios em construção: bairro, classe e ação coletiva na periferia de Buenos Aires na década de 2000. Manuscrito submetido para publicação.

Pereira, M. E. & Álvaro, J.L (no prelo). The expression of stereotypes of criminals and human rights defenders: A comparative study. Anales de Psicología.

1.6. Trabalhos apresentados em eventos científicos:

Mattos, E., Chaves, A. M., & Sampaio, S. (2009). Trabalho e escola: é possível conciliar? A perspectiva de jovens aprendizes baianos. VI Congresso Norte Nordeste de Psicologia, Belém. Recuperado de http://www.conpsi6.ufba.br/

Spink, M. J. (2010). Imagens como dispositivo de análise em psicologia social. III Congresso Brasileiro Psicologia: Ciência & Profissão, São Paulo. Recuperado de http://www.cienciaeprofissao.com.br/III/anais/detalhe.cfm?idTrabalho=10625

1.7. Obra antiga e re-editada em data muito posterior e traduções:

Skinner, B.F. (2007). Ciência e comportamento humano (11a ed., J. C. Todorov, & R. Azzi)São Paulo: Martins Fontes. (Trabalho original publicado em 1953).

Observação: no corpo do texto, a notação deve ser a seguinte: Skinner (1953/2003).

1.8. Autoria institucional:

American Psychological Association. (2010). Publication manual (6th ed.). Washington: Autor.

1.9. Documentos jurídicos:

Constituição da República Federativa do Brasil. (1988, 5 de outubro). Recuperado de http://www.senado.gov.br/sf/legislacao/const/

Decreto nº 53.464. (1964, 21 de janeiro). Regulamenta a Lei nº 4.119, de agosto de 1962, que dispõe sobre a Profissão de Psicólogo. Brasília, DF: Presidência da República.

Lei nº 4.119, de 27 de agosto de 1962. (1962, 05 de setembro). Dispõe sobre os cursos de formação em Psicologia e regulamenta a profissão de Psicólogo. Diário Oficial da União, seção 1.

1.10. Comunicações pessoais:

Cartas, conversas (telefônicas ou pessoais) e mensagens de correio eletrônico não devem ser incluídas na seção de Referências, mas apenas no texto, na forma iniciais e sobrenome do emissor e data (S. L. Mello, comunicação pessoal, 15 de setembro de 1995).

1.11. Citações secundárias:

Ao citar obras insubstituíveis para o texto, mas que sejam raras ou de acesso restrito, pode-se citar um texto contido em outra publicação consultada, sem que o original tenha sido consultado. Neste caso, deve-se citar nas Referências apenas a obra consultada e no corpo do texto, indicar autores dos dois textos, conforme o exemplo: “Achenbach (1966, citado por Achenbach, McConaughy, & Howel, 1987)”.

1.12. Material obtido da internet:

Associação de Moradores de Vila Real. (2002). Carta aberta à Prefeitura Municipal. Recuperado de http://www.amvr.atas/cartaaberta.html

Precisamos vencer a dengue agora (s/d). Recuperado de http://www.ansp.campanhas/saude/docs/

2. As notas de rodapé devem se restringir à complementação de informações que, julgadas relevantes, não caibam na sequência lógica do texto. Não devem ser utilizadas notas bibliográficas.

3. Todo material adicional considerado indispensável para a avaliação dos pareceristas (questionários, protocolos de entrevista, testes, etc.) ou tabelas muito longas devem ser apresentados em Apêndice, em nova página, identificados por letras maiúsculas (Apêndice A, Apêndice B, etc.). A numeração de cada tabela apresentada no apêndice deve ser precedida pela letra identificadora do apêndice (Tabela A1, Tabela C4, etc.). Para detalhes, consultar a 6ª edição do Publication Manual da American Psychological Association (APA).

Procedimentos de submissão e avaliação dos manuscritos

Somente os manuscritos que seguirem as normas de apresentação da Revista e se enquadrarem aos eixos temáticos da Revista passarão pelas seguintes fases:

1. Análise preliminar: consiste na análise da qualidade do manuscrito e sua aderência aos eixos temáticos da Revista. Considerar-se-ão o caráter inédito do texto e sua coerência teórico-metodológica em relação com a categoria para qual foi submetido.

O manuscrito deverá:

  • Estar de acordo com as normas de publicação da Revista;
  • Estar de acordo com as normas da 6ª edição do Publication Manual da American Psychological Association (APA);
  • Estar com o número de páginas dentro do limite estipulado para a categoria para a qual foi submetido;
  • Não apresentar qualquer informação que permita a identificação da autoria.

O não cumprimento de qualquer dos itens é suficiente para a recusa inicial do manuscrito. Aqueles manuscritos que forem recusados duas vezes por inadequação a esses itens não serão novamente recebidos por esta Revista. Tal análise poderá ser realizada pela editoria da Revista ou por um membro da Comissão Editorial.

2. Avaliação cega por pares: consiste no encaminhamento do manuscrito para avaliação. Dessa avaliação deve ser emitido, pelos membros do Conselho Editorial da Revista e/ou por consultores ad hoc. Os pareceristas devem recomentar a aceitação, a aceitação com sugestão de reformulação ou a recusa do manuscrito.

3. Notificação aos autores: Os autores receberão, inicialmente, uma decisão preliminar por parte do Conselho Editorial, no máximo até 120 dias após a data de submissão do manuscrito, prazo esse que poderá ser ultrapassado em casos excepcionais. Essa decisão e os pareceres serão encaminhados para todos os autores, através dos e-mails informados no momento da submissão. Caso haja a necessidade de reformulação, os autores deverão encaminhar o manuscrito reformulado em um período máximo de 30 dias do recebimento do e-mail para então ser avaliado pela Comissão Editorial.

A Comissão decidirá, com base nas reformulações e nas recomendações dos pareceristas, pela aceitação para publicação, pela necessidade de uma nova avaliação pelos pareceristas, ou, ainda, pela recusa. Em caso de aceitação para publicação, a Comissão Editorial reserva-se o direito de introduzir pequenas alterações para efeito de padronização, conforme os parâmetros editoriais da Revista. A decisão final da Comissão Editorial sobre a publicação ou não do manuscrito será também encaminhada por e-mail para os autores do manuscrito.

Observação: todo o trâmite, após a submissão de um manuscrito, pode ser acompanhado, no site da Revista (www.revpsi.org), no link “Status das submissões”.

 Enfatiza-se que a não identificação dos autores e pareceristas e o sistema de double blind review visam a um processo de avaliação com maior grau de imparcialidade. Dessa forma, os autores ou os pareceristas não são prejudicados ou beneficiados com sua identificação. Portanto, a presença de qualquer elemento na submissão que identifique os autores impedirá o processo de avaliação.

Declaração de direitos autorais

A aprovação dos manuscritos implica a cessão imediata e sem ônus dos direitos de publicação para a Revista Brasileira de Psicologia, que terá a exclusividade de publicá-los em primeira mão. O autor continuará, não obstante, a deter os direitos autorais para publicações posteriores. No caso de republicação dos artigos em outros veículos, recomenda-se a menção à primeira publicação em Revista Brasileira de Psicologia.

Politica de privacidade

Os nomes e endereços de e-mail neste site serão usados exclusivamente para os propósitos da revista, não estando disponíveis para outros fins.